Acampamento na Ilha Grande

No ápice do privilégio de ser teenager, lá para os 16 anos, eu não tinha grana, mas mesmo assim juntava uns amigos (as) rumo às aventuras em “picos” inacreditáveis, antes deles ficarem famosos (sim, sou amigo de umas quatro capas da Trip e também conheço lugares famosos). Fiquei viciado em acampar na Ilha Grande. Fora de temporada é uma delícia, no carnaval é ótima.

No povoado tem decoração de carnaval e até mesmo escola de samba convidada, tem marchinha tradicional e alternativamente, reggae, forró, trilhas e mar para quem não gosta dessas coisas dionisíacas.

Ainda não conheço a ilha toda, sempre fiquei no Povoado de Abraão, uma das partes com melhor infraestrutura na ilha. As primeiras vezes ainda não conhecia o esquema e fretei um barco para ir do Pier da praia do Anil em Angra até a Ilha, depois descobri que existem balsas com capacidade para mais de 200 tripulantes e passagem a preços populares, praticamente um ônibus flutuante.

No site de Ilha Grande você encontra os horários das balsas e preços, além de informações sobre pousadas, restaurantes, dentre outras dicas úteis. A ilha fica em Angra dos Reis, lugar que infelizmente passou por incidentes tristes que espantaram um pouco o turismo de Ilha Grande. Por isso, no período das chuvas (como época de carnaval), prefira ficar instalado longe das encostas das montanhas, o lugar é um paraíso que ainda vale a pena ser explorado, tem 106 praias e 56 cachoeiras. A lista de lugares para conhecer é grande, então vou resumir o que mais marcou, dentre tantas experiências boas que vivi por lá.

A praia de Lopes Mendes fica próxima do povoado de Abraão e é fácil chegar até ela de barco ou por uma trilha de menos de duas horas de caminhada. A água é cristalina, praia de tombo com ondas poderosas, a areia é grossa, clara e tem (ou tinha) buraquinhos de siris por toda parte, em tempo de boas ondas também abriga surfistas de todas as partes do Brasil.

A entrada para essa trilha fica na praia do Povoado de Abraão, no lado direito de quem está na praia olhando para o mar. Nesse sentido:

Quando fui para lá a primeira vez com um grupo de amigos, tivemos o prazer de encontrar na entrada da trilha, um cachorro caiçara que foi nosso guia pela trilha por duas horas e ao chegar na praia de Lopes Mendes, cavou sobre um buraco na areia, enfiou o fucinho, farejou, cavou mais um pouco e encontrou um siri. Matou o siri e usou o defunto crustáceo para coçar as costas, rolando por cima dele. Juro mesmo!

Praia Preta – Não sei se o nome é esse mesmo. É uma praia próxima do povoado de Abraão em que a areia é preta. Não é patifaria é tecnologia. Parece que é até medicinal [ou não]. Na mesma trilha da Praia Preta, existem ruinas do presídio de onde o famoso gatuno “Escadinha”, escapou de helicóptero.

Pico do Papagaio – Uma trilha de mais de três horas de subida chorosa. Recomendo ir com guia ou em grupo e, mesmo se a tentação for grande, não deixe para voltar depois do pôr do sol. Fui equipado com lanterna, mas passei uma noite no cume e só consegui voltar no dia seguinte com meu grupo porque ficou escuro e a trilha era suja.

Deixe um comentário